O verão está chegando e trazendo junto duas grandes ameaças: a dengue e a zika.

A zika, neste momento, é a ameaça que está mais assustando, pelas suas possíveis complicações neurológicas.
 
Temos que nos defender e tomar precauções.
 
Repelente ajuda?
 
Sim, ajuda.
 
Mas a melhor ação é derrotar o mosquito transmissor dessas doenças, o Aedes aegypti.
 
Não é difícil.
 
Bastam a conscientização e o esforço da população.
 
Todos nós temos que assumir o papel de fiscais e trabalhar para evitar o surgimento de focos do mosquito em casa, na vizinhança e no trabalho.
 
Veja na imagem abaixo os cuidados que todos devem ter:
 
 
E os repelentes?
 
Os repelentes naturais funcionam?
 
Para começo de conversa, nenhum repelente é garantia de 100% de proteção.
 
Nem mesmo os químicos.
 
Eles ajudam, mas não nos protegem totalmente.
 
Por isso a grande necessidade de combater os focos do mosquito.
 
Mas, voltando aos repelentes, eles ajudam sim.
 
Os químicos t~em de fato uma proteção mais poderosa e prolongada.
 
Mas as consequência a longo prazo, pela intoxicação que provocam, podem ser péssimas.
 
Os naturais protegem também, mas a ação é mais fraca, tanto que a reaplicação deles precisa ser em menos tempo.
 
O ideal, no caso dos repelentes naturais, é reaplicá-los de duas em duas horas, ou até menos disso.
 
A grande vantagem deles é que não oferecem riscos de intoxicação e de efeitos colaterais (a longo prazo) como os químicos e têm um custo mais baixo.
 
Enfim, entre repelentes químicos e naturais, a escolha é sua, pois cada um tem suas vantagens e desvantagens.
 
mas que fique claro: nenhum repelente, repetimos, protege totalmente.
 
Por isso a melhor proteção é derrotar os mosquitos evitando a reprodução deles.
 
Agora vamos ensinar duas receitas de repelentes naturais.
 
Eles não têm contraindicações, mas é preciso fazer o teste de sensibilidade: passe um pouco do repelente no braço e veja se ocorre alguma reação alérgica.
 
Se não ocorrer, o uso está liberado.
 
RECEITA 1
 
 
INGREDIENTES
 
10g de citronela picada
 
100mL de óleo de semente de uva (vende-se em lojas de produtos naturais)
 
500mL de álcool de cereais
 
MODO DE PREPARO
 
Misture a citronela ao álcool de cereais e guarde tudo em um vidro bem limpo por pelo menos quatro dias.
 
Passado esse período, filtre o líquido com o auxílio de um coador de papel.
 
Junte o óleo de semente de uva e mexa bastante.
 
Guarde o repelente pronto em um borrifador.
 
A validade fica em torno de seis meses.
 
Mas, por se tratar de um produto natural, sem conservantes, pode ser mais ou menos do que esse prazo.
 
RECEITA 2
 
500 ml de álcool de cerais
 
100 mL de óleo de amêndoas
 
10 gramas de cravo-da-índia
 
Modo de preparo
 
Misture os ingredientes, mexa e deixe a solução descansar por pelo menos dois dias em um local escuro.
 
Durante esse período, mexa três vezes por dia esta mistura.
 
Passado esse período, coe e o repelente está pronto para ser usado.
 
A validade também fica em torno de seis meses.
 
DICA EXTRA
 
Entre os naturalistas, o complexo B é reconhecido como um repelente natural de insetos.
 
Recomenda-se neste caso o consumo diário de uma boa fonte de complexo B, como levedura de cerveja.
 
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
Seção: 

Imagens vistas recentemente

Entre em contato

Queremos receber sua opinião

Se você tem uma crítica, sugestão ou quer nos indicar uma receita/tratamento caseiro, entre em contato conosco

curapelanaturezablog@gmail.com

Continue conectado

Esclarecimento

Este blog tem a finalidade de ajudar, mas não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.